Estou ouvindo uma vozinha, lá no fundo do meu “armário”, aquele departamento de coisas guardadas, deixadas de lado, reprimidas, assustadas, sufocadas…essa vozinha que eu escuto há tempos, já foi mais forte, há anos atrás…quantas vezes eu já pensei em parar, abrir essa porta e escutá-la mas, logo, diante dos medos, da pressa de viver e seguir adiante, desisto…quem sabe um dia terei a calma e a coragem…penso e sigo em frente…

Assim a vida passa, tudo passa “até a uva passa…” disse minha amada sobrinha-neta e afilhada do alto de sua pureza e sabedoria aos 5 anos de idade. Naquele momento, que já passou, essa criança me fez rir muito e sentir-me leve em sua alegre e luminosa presença.

Então, eu sempre penso e repenso, porque deixar enfraquecer essa divina presença da criança dentro de nós?

Que poderes divinos e essenciais, eu diria até vitais, estamos deixando de manifestar ao insistirmos em dizer “não” à ela?

Certa vez, antes de lançar meu livro Adultos Índigos, meus guias enviaram-me uma mensagem linda me encorajando e iluminando, esse momento do caminho à minha frente, e disseram: as pessoas que estiverem nesse dia, lá na fila para celebrar com você e receber seu autógrafo, essas pessoas, na verdade, estarão buscando a sua ajuda para curar a criança interna ferida. Elas serão também os multiplicadores dessa mensagem para tantos outros adultos que necessitam e estão, ainda confusos, machucados e feridos, buscando, sem saber, exatamente isso: a cura para a sua criança interna ferida. Eu gravei essa mensagem e naquele dia, do lançamento do livro, olhei nos olhos de cada pessoa ali presente, senti e desejei, de todo o meu coração e de alma, que elas pudessem encontrar alguma luz nessa direção, através da leitura desse livro. Passados alguns anos, posso dizer que as centenas de cartas e depoimentos que recebo, diariamente, de adultos de todos os cantos do Brasil e também de alguns outros países, tem me confirmando o que meus guias disseram. São adultos de todas as idades e credos, ocupações, classes sociais…todos eles me emocionam, profundamente, ao me confessarem, cada um ao seu modo, o quanto mudaram e estão mudando as suas vidas, suas trajetórias a partir de um novo olhar a respeito de si mesmo…um olhar que traz entendimento, identificação, permissão para ser “diferente”, acolhimento, compaixão, libertação, cura e assim, transformação. Recebo desses leitores, agradecimentos genuínos de quem está despertando para uma nova consciência a respeito de si e, consequentemente, do sentido da própria existência, da vida.

Todos esses depoimentos são a manifestação de que havia ali dentro, de cada ser, uma criança bem viva, embora sufocada e às vezes deformada com suas asas encolhidas e amassadas, pronta e ansiosa para ser libertada e poder abrir essas asas, respirar fundo e levitar, digo, levantar voo!

Sabem o que essas pessoas estão fazendo para curar e libertar sua criança interna? Invariavelmente, estão tendo a coragem de ouvir essa vozinha que vem de dentro tipo uma coceirinha leve e depois, mais forte, para rir sem motivo, para dizer “não” para o que não gostam e não lhes faz sentido e para dizer “sim” a tudo o que lhes faz bem a alma como correr na grama, sentir o vento na pele, pular as ondas do mar, abraçar uma árvore ou muitas, ouvir o canto dos pássaros, abraçar o caminho que lhe chama para ser um terapeuta de almas, um curador, um artista, um educador das novas gerações, um jurista guiado pelos valores espirituais, um ecologista apaixonado pela Mãe Natureza, um canalizador de mensagens vindas de outras elevadas dimensões, de escrever poesias mesmo que ninguém as leia, ainda…

Essas pessoas estão assumindo a própria natureza de ser quem são e estão compreendendo que ser “diferente” faz todo o sentido já que viemos aqui para curar, mudar, transformar a nós mesmos e assim, deixar nossa contribuição para mudar esse mundo tornando-o mais iluminado, pacífico e fraterno…Elas estão aprendendo a honrar a si mesmas e assim, estão abrindo caminho para outros e outros adultos passarem a escutar aquela voz que vem de dentro…

Se não vos tornardes como as criancinhas não entrareis no reino dos Céus…

Bendita seja a nossa criança interna que guarda todos os nossos segredos e os segredos da verdadeira Vida, da Verdade, do Caminho!

Um abraço afetuoso desejando Luz nessa caminhada de cura e libertação de sua amada criança interna!

Ingrid