O que dizer, sentir, fazer, nesse momento tão difícil?

ME AME QUANDO EU MENOS MERECER, POIS É QUANDO EU MAIS NECESSITO.

Estamos há poucos dias de comemorar, mais uma vez, o aniversário da independência do Brasil, no dia 07 de setembro desse 2018, um ano que pela sua numerologia é “2”. O número 2 refere-se a dualidade, a polaridade e, portanto, o Divino versus o Humano. Em nosso DNA, a camada “2” é aquela que contém a lição de vida. Essa camada é construída pela reunião de várias energias convertidas em três dimensões para que assim fique “mais fácil” aprendermos. Essa camada está construída através de nossos registros akáshicos que são os registros de toda a história de vida da nossa alma.

Digo isso para abastecer nossas reflexões necessárias e urgentes diante desse momento vivido, por todos nós, brasileiros nascidos aqui ou naturalizados e por todos os que amam esse país.

Brasil, um país de tantos contrastes e diferenças com dimensões continentais e uma  história que inclui páginas de imensa alegria, talentos incríveis, criatividade, generosidade, êxito e luz bem como muitas páginas de explorações, de guerras internas, de luta e destruição de suas raízes e dos guardiões naturais dessa terra e, assim, de escuridão e sombras.

Tivemos, há apenas dois dias, um fato dramático a golpear nossas almas e nossos sensíveis corações, quando no domingo dia 02 de setembro, um incêndio devastou o prédio de nosso Museu Nacional situado na Quinta da Boa Vista, no Rio de Janeiro. Boa parte do país, imagino que assistiu estarrecido, as cenas das chamas, famintas e velozes, engolindo literalmente, todo o interior do prédio e o acervo de mais de 200 milhões de itens.  Foi-se, rapidamente, um ícone de nossa história. Considerado o quinto maior museu de antropologia do planeta, praticamente, desapareceu, transformou-se em cinzas… Apenas as paredes externas continuam em pé. Devemos nos entristecer por esse fato gravíssimo em meio a uma crise sem precedentes que envolve nosso país?  Sim, é humano, sentir tristeza, sentir  desânimo, impotência,  raiva, revolta, indignação sem dúvida! É legítimo como seres humanos que pensam, sentem e possuem uma consciência, vivenciar tais sentimentos, emoções. Mas, é necessário que não se tente fugir de enfrentar tudo isso de frente e que não se pense em fugir da situação ou do país de imediato, embora esse seja sim um direito de cada um, inalienável.

Não existe nenhuma possibilidade de darmos o próximo passo em nossa evolução como indivíduos, como povo e nação, sem passarmos por períodos de luto, por momentos de profunda tristeza e até  de depressão. Estamos sendo forçados a sair daquele estado de euforia e de insensatez a que ficamos submetidos, durante tantos anos após o período identificado como ditadura. Cada estágio dessa nossa caminhada foi escolha nossa, como coletivo. Nosso país pode ser visto e analisado como um individuo com um corpo físico, uma alma, uma mente, um coração, uma personalidade, valores e cultura. Esse indivíduo, chamado Brasil, parece estar ainda vivendo a sua adolescência, com sua típica e pertinente imaturidade física, emocional…com suas alternâncias de humor…com atuações psicopáticas e anti-sociais sempre realizadas e encorajadas por grupos, com períodos de euforia e empolgação que não conseguem medir as consequências de seus atos…com momentos de profunda tristeza e depressão e ideias de flagelo e morte…com devaneios sobre ser ou não ser e sobre realizar sonhos sem querer passar pelas  etapas de elaboração do luto, organização de um plano estratégico e, principalmente, de construir bases sólidas e alicerces para concretizar seus sonhos. Assim como todo e qualquer indivíduo, o Brasil possui um propósito e uma missão como país, visto a partir do contexto espiritual e no contexto mais amplo de planeta, de galáxia e cósmico.

Sabemos que cada um de nós que aqui nasceu ou chegou, tem também um propósito e missão espiritual. Escolhemos nascer aqui no Brasil, nessa época e nos oferecemos como voluntários para ancorar uma determinada vibração e nível de consciência. Isso, para que os próximos passos de nossa expansão de consciência, evolução e realização de nosso propósito individual e coletivo se realize. Então, não podemos avançar sem olhar de frente para esse espelho que inclui nossa história completa, nossos antepassados, nossa realidade atual. Somos chamados a enfrentar e tomar consciência de nossas responsabilidades, de nossos compromissos sem fugir da dor e do sofrimento que possa significar, fazer isso. Pois não há amadurecimento possível sem lidar com nossas dores, desconfortos e lágrimas. Mas, como nos indica o número “2” desse ano, temos a nossa frente a escolha entre o Humano e o Divino, físico e o espiritual, a sombra e a luz…A dualidade é difícil sem dúvida mas traz com ela a magnífica oportunidade de exercitarmos nossa maestria, percebem? Vivemos esse momento crítico onde toda a verdade está posta sobre a mesa, nada mais fica escondido. É profundamente desagradável constatar e encarar tanta sujeira, tanta corrupção e violência, tanta maldade e injustiça, tanto desperdício de nossas energias e do dinheiro público. Mas, por outro lado, se toda essa verdade não viesse a tona, jamais poderíamos estar tendo essa oportunidade de olhar tudo isso não apenas com olhos humanos mas também de tomarmos alguma distância e vermos com um olhar espiritual e de compaixão por todos, inclusive por nós já que somos todos partícipes desse imenso quebra-cabeças do Brasil no planeta e no cosmos. Daí, a magnitude desse momento onde somos agora capazes de escolher com muito mais consciência o que desejamos para nós, para nossos filhos e para nossos netos e para o nosso país! Estamos sendo chamados a lidar com tudo isso e fazer novas escolhas! Podemos escolher limpar tudo o que está aí e arregaçar as mangas para unidos passarmos a trabalhar juntos como cidadãos e, não só escolher nossos representantes com mais critério e cuidado mas organizarmos comissões ou comitês em cada cidade, em cada estado para acompanhar bem de perto o que será feito com os impostos arrecadados, contribuindo para criar um plano mais inteligente, justo e sábio de governo que seja mantido pelos próximos governantes. Podemos tratar assim, de fazer valer as prioridades de governo, consideradas por todos nós, o povo brasileiro! Temos a oportunidade de passar a agir diferente nos unindo e nos comprometendo em cuidar de nossos semelhantes como cuidamos de nós, de nossa família, cuidar de nosso país que tanto amamos! Vai dar muito, muito mais trabalho sem sombra de dúvida! Mas, afinal quem ama cuida!!! Pense bem, nós somos os “chefes”, nós escolhemos, nós pagamos os salários dos políticos e governantes, assim, nós precisamos aprender a gerenciar os nossos funcionários, precisamos rever e atualizar a nossa constituição e precisamos demitir quem insiste em não atuar com competência, seriedade, responsabilidade, respeito às regras, às leis. Nós, o povo brasileiro temos a oportunidade de nos reorganizarmos e de assumirmos uma atitude nova e mais madura e consciente, como “chefes” de nossa nação!

Então, podemos escolher, nesse 7 de setembro e a partir de agora, dar um imenso abraço em nosso território nacional e darmos um passo decisivo em direção a nação que desejamos ser!!!

Você percebe que momento grandioso e luminoso nós estamos vivendo em nosso amado país?

O Brasil é considerado o pulmão espiritual do planeta!Esse é o propósito do Brasil! E nós como brasileiros temos a missão de garantir que avancemos nessa direção!!!

Deus nos guie e abençoe!!!

Haja cada vez mais, Luz!!!

Ingrid