COMO VOCÊ ESTÁ USANDO SEU PODER?

 Nós já somos unos e imaginamos que não.
O que precisamos é recuperar nossa unidade original.
O que tivermos que ser é o que somos.
Thomas Merton

Você, provavelmente, já sabe que entre as muitas definições de poder, existe uma bem simples que diz: poder é a capacidade de causar influência sobre as outras pessoas. Imagino que você deve saber também que existem vários tipos de poder, conforme seu nível de qualidade: o poder da força que é o mais bruto e primitivo; o poder do dinheiro que também é primitivo porém mais “astuto” no seu exercício e em suas práticas e o terceiro tipo que é o poder do conhecimento/informação que é sem dúvida, mais evoluído, sutil e sofisticado. Já nos anos 90 Alvin Toffler escreveu de forma aprofundada sobre esse tema.

No entanto, após quase três décadas, faz-se necessário ressaltar, diante do caos e do estado avançado de destruição e de degradação planetária, que: o poder assim como uma faca, em si não são nem maus nem bons, apenas são. A diferença está, justamente, na forma como o poder é utilizado e, se ele será, dependendo dessa forma, direcionado para o bem ou para o mal. Essa forma tem a ver com o grau de consciência e de evolução espiritual que um indivíduo já alcançou. Portanto, somente aquele ser humano que expandiu sua consciência e tornou-se capaz de ver e de perceber todos os seres, humanos ou não, todas as realidades, todos os acontecimentos com um olhar espiritual  entende que não se pode julgar nada nem ninguém, somente pelas aparências. Somente tal ser humano consegue entender que para tudo há um sentido mais profundo e sutil, bem além daquele olhar dominado pelo ego e suas vaidades e limitações. Somente esse ser humano “conhece” um Ser Superior que ele poderá chamar de Deus, de Criador, de Fonte de Tudo o que é e a quem ele “escuta”, reconhece seu poder superior e as Suas leis espirituais superiores, honrando-as e respeitando-as. Esse ser humano regido não mais pelas forças primitivas e pelos impulsos do id e do ego mas por sua Superconsciência, sua Essência fortemente conectada à Fonte/Deus, está preparado para usar todo o seu poder com maestria.

Tais pessoas são chamadas pelo Dr. Wayne W. Dyer de “conectoras” pois elas sabem que existe um “campo” chamado intenção, um domínio invisível onde todas as influências, todas as informações e possibilidades estão ordenadas e presentes. Trata-se de uma realidade superior que pode ser acessada e evocada em momentos de necessidade. As pessoas conectoras são excepcionalmente generosas. É como se o que elas quisessem para si mesmas só fosse eclipsado pelo desejo ainda maior disso para outras pessoas. Elas tem uma satisfação enorme em dar. E vivendo assim conectadas ao fluxo, quanto mais elas doam mais abundância ela alcançam em suas vidas. Elas não conhecem a escassez. As pessoas conectoras são altamente criativas. Vivem mais em espírito do que em forma. Portanto, são inspiradas e inspiradoras. Possuem um forte senso de seu próprio destino. Sabem porque estão aqui e qual o seu propósito, nessa existência. Elas se dedicam a viver esse propósito e escolhem evitar que sejam perturbadas pelas demandas do ego. Tais pessoas demonstram grande reverência pelo mundo do espírito e, ao comungar com a Fonte, permanecem inspiradas.

É por esse ser humano evoluído e superconsciente que nós devemos ansiar em nós, em nossa vida, em nosso planeta, a Terra. Ele existe dentro de cada um e só precisa ser escutado e desenvolvido com total dedicação. Esse é nosso maior poder e a razão de nossa jornada de alma é alcançá-lo.

Nós todos ansiamos por nos tornarmos, assim, quem somos.

Nós todos ansiamos por pais e professores assim.

Nós todos ansiamos por parceiros de jornada que dediquem-se a ser assim.

Todos nós ansiamos por verdadeiros líderes e governantes que sejam assim.

E você, como está usando e aplicando seu poder?

Ingrid Cañete