Diálogo X Suicídio na Adolescência…

Em tempos de Novas Gerações Índigo e Cristal:

No final do mês de abril passado, recebemos mensagem de uma mãe de São Paulo muito impactada com as mortes por suicídio, de cinco adolescentes, todos estudantes de escolas conhecidas e tradicionais. Conversamos longamente a respeito...tais suicídios foram noticiados amplamente e com destaque por pelo menos um ou dois importantes jornais da capital paulista. Isso, por si só chamou-me a atenção, já que normalmente esse tipo de morte sempre foi tratado com sigilo e discrição e até onde eu sabia, era “proibido” noticiar. Esse tema sempre foi coberto de tabus...mas, talvez porque venham se multiplicando as mortes de jovens por suicídio e porque vivemos uma espécie de “momento da verdade” para toda a espécie humana, este tema grave e preocupante começa a ser trazido a luz...
No mesmo dia, em que havia conversado com essa mãe, recebi por e-mail uma carta, publicada na página de uma amiga, de um teor bastante forte, dramático e contundente, havia sido escrita por uma adolescente de 16 anos que tinha se suicidado, há uns três dias. Nessa carta, ela descrevia as razões de sua dor e sofrimento crescente devido aos abusos sofridos por parte de seu pai e reiteradamente ignorados por sua mãe e, pior do que isso, tais abusos tornaram-se a causa da perda do afeto e do carinho por parte dessa mãe que parecia tratá-la com raiva e como se fosse "uma concorrente ou rival". Todas as suas tentativas de pedidos de socorro para essa mãe foram recusadas, anos a fio...essa jovem descreveu o ambiente escolar como sendo hostil, frio, distante e longe de ser um lugar onde pudesse encontrar sinais de humanidade, de apoio e de algum acolhimento...Eu mesma tenho recebido diversos pedidos de socorro de pais de adolescentes, apavorados com os sinais de depressão e risco de suicídio de seus jovens filhos. Todos esses jovens pertencentes a geração Índigo-Cristal, com características como uma alta sensibilidade, a sensitividade/mediunidade, dons de cura, telepatia e clarividência, espiritualidade acentuada e uma ausência de medo em relação a morte alidada a uma forte nostalgia/saudade de seu lar ou planeta de origem, como muitos referem...características essas que devem ser consideradas com atenção e cuidado na atualidade, sempre que abordarmos temas delicados como o suicídio e depressão entre esses jovens.
O suicídio entre adolescentes já é, há alguns anos, a segunda maior causa de morte, ao redor do mundo...no ano passado, a série 13 Reasons Why ( Netflix) que causou um certo "furor" nas mídias e gerou comentários tanto favoráveis quanto críticas a seu conteúdo bem como ao roteiro, a forma como foi contada a história de uma jovem estudante, linda e muito sensível e humana, que acabou por se suicidar de modo violento mas não antes de deixar fitas gravadas aos colegas, com "peças" do quebra-cabeças humano que a teria levado a tirar a prórpia vida. No ano passado, em maio, escrevi aqui um longo comentário sobre a minha visão e parecer sobre esta série, que por sinal acaba de lançar a segunda temporada. O intuito da série é de contribuir para uma conscientização mais ampla e profunda do tema suicídio entre adolescentes e promover a as reflexões, discussões e mudanças urgentes e necessárias tanto entre pais e filhos, família como no ambiente escolar e institucional, nos governos. Eu acredito sinceramente que ela contribui e muito!!! O que está faltando e MUITO é a devida sensibilidade e humanidade bem como sabedoria, discernimento e disposição para ir mais fundo nos detalhes deste tema e de todas as sutilezas que somadas podem sim levar um jovem, ainda mais na atualidade, a decidir partir desse planeta. FALTA MUITO A EMPATIA OU SEJA A CAPACIDADE DE SE COLOCAR DE VERDADE, NO LUGAR DO OUTRO, NESSE CASO, DO ADOLESCENTE E DE SEU INTRINCADO UNIVERSO E DEPOIS VOLTAR A SI E OFERECER AJUDA E ACOLHIMENTO, SEM DESISTIR DELE! EMPATIA É AMOR!!!


Mas, o que o suicídio crescente de adolescentes tem a ver com DIÁLOGO?

Em nossa visão, tem tudo, absolutamente tudo a ver!!!

Vivemos numa sociedade profundamente adoecida, onde a Normose predomina traduzindo-se num estado de profunda e absurda alienação e alijamento da realidade e da verdade. Não aquela realidade ilusória e falsa criada pelas mídias, pelas fakenews, pelas pressões familiares e sociais e não aquela verdade parcial e fragmentada/fragmentária baseada na visão individualista e vale dizer egocêntrica/autocentrada da maioria, onde se escuta só o que desejamos escutar, onde predomina o ponto de vista desde os próprios interesses e disposição/acomodação. Nesse contexto, vemos pais cansados, exauridos pelo trabalho, na maioria das vezes, sem significado, e pelo seu próprio vazio existencial, o vazio no centro do peito, de quem não tem tempo sequer para parar e refletir sobre quem é, para onde está indo e qual o sentido da própria vida. O vazio de quem não se ama e não se honra! Tudo gira em torno de ganhar mais e mais dinheiro para pagar as contas e poder proporcionar aos filhos e a si mesmos “as melhores condições possíveis de estudo, de lazer, de vida”. Cada vez correm mais, levantam mais cedo, dormem mais tarde, se olham menos, se escutam menos, se amam menos. São “corpos dóceis” à serviço do sistema capitalista, da Matrix. Não há liberdade de pensar, de refletir, de questionar e muito menos de sentir e de fazer escolhas verdadeiramente conscientes. O “sistema ou a Matrix” é tão esperto quanto sórdido, usando o mais alto grau de sofisticação em suas estratégias de manipulação para fazer seus “corpos dóceis” ( escravos) trabalharem cada vez mais, se cansarem cada vez mais e pensarem cada vez menos acreditando cegamente de que são livres e de que são reconhecidos pelo “sistema” que lhes “premia” com promessas de promoções com altos salários, com viagens, com rótulos de cargos que lhes conferem um falso status. Sistema esse tão perverso que bastou alguém ousar lhe dizer “não” que será engolido e triturado instantaneamente, com frieza e indiferença. A principal estratégia de intimidação silenciosa é o Medo! Medo de perder o salário, a posição social e profissional, os bens e desabar na pirâmide social igual que saltar do alto de uma montanha russa em movimento…Completamente envolvidos por essa trama perversa e insana, os pais realmente não sabem há muito tempo, o que vem a ser o VERDADEIRO DIÁLOGO. Na série televisiva, já citada, temos exemplos desse estado de pura alienação e anestesia social mas também em nosso dia a dia, em nossos atendimentos aos pais percebemos claramente e muitas vezes, declaradamente, que não há tempo nem espaço, nem paciência e muito menos dedicação ao exercício do DIÁLOGO! Nesse contexto, os celulares e tablets, ocupam um tempo e espaço criminosos e abrem espaço para a entrada de outras drogas anestesiantes, ao longo da caminhada…isso já é a morte em vida…

Os pais não se olham nos olhos, nem a sim mesmos nem aos seus parceiros e muitos menos aos seus filhos. Todos os hábitos e rotinas diários estabelecidos, cegamente, estão à serviço de mover as engrenagens da Matrix, da roda quadrada e pontiaguda, dessa forma de “vida”. Todos repetem os mesmos movimentos, os mesmos cumprimentos, as mesmas perguntas vazias e sem intenção de receber respostas mais longas do que: tudo bem, tá, tchau, obrigado, só , vou, não vou, boa noite ou menos do que isso…os olhos não se procuram por muitas razões entre cansaço, falta de hábito, falta de tempo ou pressa, mas principalmente por medo de ver nos olhos do outro um “tu” que reflete um “eu” e nesse encontro sentir e redescobrir sinais da UNIDADE que em Essência nós somos, uns com os outros..medo e receio de sentir o que o outro sente e de perceber sinais daquilo que também se sente e sofre, fragmentos de emoções há muito guardadas, palavras não ditas, feedbacks não recebidos, abraços não dados nem retribuídos, limites não explicitados e por aí vai…O diálogo há muito deixou de existir em nossas famílias, em nossa sociedade, falo de forma a generalizar mas sei que existem as benditas exceções, se não não nem estaríamos mais aqui. Como espécie somos abençoados e sustentados por esse sopro de pais e de cidadãos conscientes, amorosos, conscientes, comprometidos profundamente com os valores elevados, com a família, com seues semelhantes, coma natureza, com o seu propósito e missão de vida.

Mas, a maioria ainda dorme profundamente e enquanto seguem nesse sono e em sua cegueira psíquica, transformam-se em zumbis que sugam a energia vibrante e com potencial de renovação e de tranformação de nossos jovens
das gerações Índigo e Cristal! Pais precisamos nos esforçar e nos dedicarmos a olhar para esse tema de frente, sem desviar o olhar, sem fazer vistas grossas! Se assim fizermos poderemos buscar ajuda de bons profissionais, de amigos sinceros, de terapeutas conscientes e espiritualizados, de aconselhadores idôneos e humanizados e estaremos aptos a salvar muitas vidas de jovens adolescentes. Pois essa fase da vida é das mais difíceis e delicadas, os jovens não são adultos, são mais como crianças, sentem muito medo e muita insegurança diante desse mundo louco e altamente conturbado e hostil que criamos! Eles precisam essencialmente de DIÁLOGO VERDADEIRO, SINCERO, DE OLHOS NOS OLHOS, DE AMOR INCONDICIONAL E UMA DISPOSIÇÃO PROFUNDA E INABALÁVEL PARA SEREM OUVIDOS DE VERDADE POIS SÓ ASSIM PODERÃO SE CONHECER E RECONHECER ATRAVÉS DESSA ESTRADA, DE DUAS VIAS, DA RELAÇÃO EU E TU ONDE SÓ ASSIM PODEMOS CONQUISTAR A VERDADEIRA CONDIÇÃO HUMANA E ,CONSEQUENTEMENTE, ACESSARMOS O NÍVEL ESPIRITUAL.
Grata pela atenção!!!

UM abraço afetuoso desejando uma chuva de luz e de bênçãos a todos!
Ingrid