DÚVIDAS

Respostas às perguntas mais freqüentes:

Essas perguntas foram feitas por mulher-avó e leitora de meus livros:

1.   Quando   lemos um livro sobre a evolução  das pessoas fica a  dúvida,  porque só vemos  a regressão  do comportamento humano dia a dia  em todas as classes  sociais?

2.  O menino pobre (Cristal) que nasce na favela  e  é abandonado por pais (índigos) o que foi que aconteceu?  Onde esta a evolução,   porque a diferença  destas  pessoas?

3.  Não resta dúvidas  quanto  a termos pessoas especiais  em  niveis  económicos  muito baixos,  nada tem a haver isto na evolução, isto eu entendo, mas  o que me  deixa perplexa é  a  extensão  de seres  humanos  que não se   identifica como evoluídos  ainda que a era  deveria ser de  progresso  espiritual  e esta acontecendo o contrario será, uma limpa do  planeta??  Mas quem esta  se extinguindo são os  bons , iluminados pelos maus em todos os sentidos

4.  As crianças Cristal crescendo seguirão seu destino evolutivo??

Tuas perguntas são pertinentes e eu mesmo já me fiz, outras pessoas me fazem tais perguntas.

Questionar-se é sinal de Inteligência Espiritual!

Lembre que cada alma está num estágio de evolução e portanto de consciência e de maturidade como alma.

E que aqui temos a lei do livre arbítrio a nos guiar. Se as almas tem muitas idas e vindas e cada uma tem uma  história não se pode julgar o que se passa apenas nesta vida, mas podemos sim constatar que um percentual grande de pessoas são imaturas ainda e vieram aqui para ter a oportunidade de avançar mas depende de suas escolhas e esforços…

Um percentual menor já veio mais evoluído e outra parte da população escolheu evoluir principalmente nos últimos anos.

Esse é o processo, como nos atrasamos as crianças vem em massa para nos ajudar a acelerar trazendo e ancorando sua vibração mais alta e sutil…

As crianças Cristal seguirão sua evolução e cumprirão sua missão mas fique claro que se nós não atrapalharmos muito, elas precisam de nosso acompanhamento como facilitadores, que as amemos muito e que mostremos algumas regras e limites da 3D e que estejamos dispostos a fazer uma parceria criadora e construtiva com elas, aprendendo com elas, ouvindo-as e respeitando-as, acreditando nelas. Elas precisam que os adultos busquem urgentemente o desenvolvimento espiritual, isso é fundamental!!!!

Um abraço afetuoso, muita Luzzz!Ingrid

Pergunta (Meu filho é Autista ou  Índigo, Cristal?!): 

Estou com dúvidas sobre crianças Índigo e Cristal , meu filho caçula tem muitas características dos Cristal e uma das que mais  me chamou a atenção é que são diagnosticados como autistas mas não é o caso de meu filho que  tem atraso na fala e não é nada neurológico pois já foi descartado por exames médicos e fico muito estressada nesta busca e pesquisa!

Resposta: 

Entendo o que me contas! Olhe realmente tem havido muitos, muitos casos mesmo de diagnóstico de autismo errôneos, equivocados devido a que as crianças de agora nascem com DNA modificado, ativado e com uma energia tão sutil que faz com que seu processo de desenvolvimento, aqui na Terra, onde a energia é, ainda, muito densa, seja mais lento, pois é difícil aterrarem, estarem com os pés na Terra, conectados fortemente à Terra. Então, a fala e outros processos do desenvolvimento destas crianças seguem um ritmo “diferente” do que foi convencionado na psicologia, na pedagogia  e na medicina tradicionais! É muito importante que os pais saibam disso e procurem ouvir diversos profissionais e que busquem profissionais  com visão mais holística e espiritual (nada a ver com religião!) e que estes conheçam o assunto Crianças de Agora (grupos evolutivos Índigos, Estelares, etc.). e, principalmente sugiro que os pais leiam mais e mais sobre este assunto e ouçam seu próprio coração e  sua própria intuição e não entreguem seu poder de pais a nenhum profissional mas trabalhem em conjunto.

Para ajudar suas crianças a estarem aqui na Terra e poderem cumprir suas missões de forma saudável, equilibrada e com todo o apoio e compreensão, amor que necessitam!!!

• Quais são os tipos de crianças que até então existem?

Existem Índigos, cristais, do agora, telepáticos, quais são os outros? Existem as crianças sensitivas dentro dessa classe específica???

Até onde tenho estudado, atualmente se considera que  existe um Grupo Evolutivo dos Índigos e podemos colocar os cristais e arco-íris assim como as crianças psíquicas ou telepáticas dentro deste grupo.  Depois temos as crianças estelares ou das estrelas, são crianças vindas de outros planetas ou estrelas. Elas dizem inclusive de onde vêem, por exemplo de Órion, de Júpiter, Sírius,outros. Algumas delas mostram através da escrita a linguagem de seu planeta, falam de hábitos, desenham os seres e símbolos de lá.

Estou vendo que alguns profissionais (Julie Rosenschein, EUA) estão se referindo a  uma classe de crianças que está sendo chamada de Crianças com Alta Sensibilidade e que tem certas características ligadas a uma super, hipersensibilidade com ruídos, com tecidos/roupas, com alimentos, com multidões e são altamente intuitivas, gostam de se voltar para dentro, de introspecção e reflexão, são muito empáticas e já foram diagnosticados com DDA ou Bipolaridade. Este tipo no meu entender pode também ser considerado como parte do grande grupo chamado Índigos. Há um autor argentino, Jorge Balbi, que escreveu sobre os Crisol que são segundo ele bem mais além dos Cristal, mas que mesmo assim me parece poderem estar incluídos no grupo dos Índigos! E também sabemos que as crianças estelares estão aí e podem haver de vários outros tipos de crianças, de seres humanos com distintas características  e origens a serem identificados por nós num futuro próximo, ou seja estamos abrindo-nos para perspectivas mais e mais amplas em relação ao processo evolutivo humano e isso é fundamental!

As crianças do Agora que temos utilizado para nos referir às novas gerações são apenas isso um nome genérico para assinalar que as crianças de agora são diferentes sim das crianças de outras gerações!

• O que significa  a chegada ao planeta ou o nascimento destas gerações chamadas de Índigos?

Vivemos um momento crítico da evolução planetária, isso é certo e temos sinais deste momento que marca o fim de uma etapa e o iminente início de uma nova etapa evolutiva, por toda a parte. Fala-se inclusive em final dos tempos. Não vamos entrar nesta discussão e sim comentar que o que temos de concreto, de evidente em nossa realidade é a chegada cada vez mais numerosa de seres humanos diferentes tanto do ponto de vista físico quanto emocional e espiritual. Isso não podemos mais negar e essa transformação e evolução da espécie humana carrega em si grandes desafios para toda a nossa sociedade brasileira e planetária. Ao mesmo tempo em que temos filmes como Quem somos nós e Uma verdade inconveniente (de Al Gore) sendo lançados nos cinemas brasileiros e nos abrindo os olhos sobre a existência de outros níveis de realidade e sobre os riscos quanto a nossa sobrevivência devido a alarmante destruição que nós viemos promovendo em nosso planeta, temos a grata satisfação de constatar que os seres humanos estão chegando mais evoluídos e vêm com capacidades e dons ativados e com a missão de alavancar o processo de cura de nossa espécie e do planeta Terra.   É urgente a necessidade de olharmos a nós mesmos e aos nossos semelhantes assim como  ao nosso planeta, com outros olhos! Não é possível continuarmos impondo o modelo educacional atual a estes seres tão diferentes que estão chegando da mesma forma que não é possível insistirmos em vestir as mesmas roupas de quando éramos crianças. Não cabe e isso é evidente!

• Porque o termo Índigos?

O termo “Índigos” é uma terminologia que está sendo usada e aceita internacionalmente para referir-se a esses seres humanos diferentes que estão chegando,. O nome faz referência a coloração azul Índigo identificada pela primeira vez na aura ou campo energético que circunda o corpo humano físico, pela pesquisadora americana Dra. Nancy Ann Tappe, em 1980. Esta coloração segundo ela, indica uma freqüência vibracional específica para a energia essencial do ser humano e relaciona-se com a presença de determinadas características físicas, emocionais e espirituais. Ela propõe também que existe uma relação deste padrão energético vibracional com o propósito e missão de vida dos Índigos. Essa missão está diretamente relacionada a romper paradigmas, ou seja, questionar e quebrar padrões estabelecidos, leis e regras há muito estabelecidas e que não cabem mais, que estão obsoletas e/ou são inadequadas as necessidades das novas gerações  assim como são impeditivas da evolução planetária.tanto que os Índigos são também chamados de “Rompedores de Sistemas”. Eles vêm com a árdua missão de exigir uma revisão e valores de seus pais, instituições e sociedade em geral.

• Qual a importância e abrangência deste tema Índigos?

O tema é vasto, amplo, profundo e exige que o tratemos com muito respeito e cuidado pois estamos assistindo toda a sorte de equívocos no tratamento e encaminhamento de crianças e jovens que atualmente vem sendo rotulados, em nossa sociedade como sendo crianças-problema, “terríveis”, hiperativos, DDA, incontroláveis, autistas, anti-sociais algumas vezes, depressivos e bipolares. Estes equívocos têm levado os profissionais mais desinformados a tratar de forma inadequada as crianças e jovens alarmando e confundindo seus pais. E, muitas vezes, criando problemas, e traumas advindos dos próprios rótulos, da medicação indevida e da humilhação impostas.

No Brasil, o tema vem sendo estudado por alguns profissionais de alguns estados como São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina entre outros porém ainda temos pouca bibliografia em português e os artigos têm que ser traduzidos ainda do espanhol e do inglês e circulam com certa abundância pela Internet mas pode-se considerar que é um tema ainda novo no país e que carece de uma união, organização e trabalho de estudo e pesquisa para que possamos, nos próximos anos, apresentar dados e informações baseados em nossa realidade e para que possamos dar conta da demanda que já se apresenta como urgente, hoje, em relação a informação, conscientização e preparação dos profissionais da educação e da saúde para darem conta com a devida competência, sensibilidade e qualidade dos desafios que se apresentam.