Estressado, eu?

Quem não chegou lá pela quinta ou sexta-feira e desabafou com o usual “Tô estressado”. Ninguém se surpreende mais quando o filho de dez anos declara visivelmente revoltado: “Mãe, ‘profe’ ta pegando pesado” ou “Tenho mesmo que ir ao inglês hoje?”. É não adianta. Estresse é um companheiro inseparável da vida moderna. E pode fazer bem, acredite. Tem gente que não vive sem ele. Mas também tem força para jogar a pessoa ladeira abaixo.

Estressado, eu? Se você não está, pode fica. Então, é hora de hábitos mais saudáveis e seguros, ficar atento para doenças tão corriqueiras quanto perigosas, como o diabetes e a hipertensão, e tratar das dores com técnicas e terapias que privilegiam a conexão corpo e mente. Um detalhe: os autores dos sete artigos que compõem o livro garantem que vale a pena!

Mais que ficar ditando receitas prontas, o livro que está em suas mãos analisa e desmitifica tábuas de salvação. Traz orientações para que você aproveite o estresse que gera sensações necessárias para enfrentar novos desafios ou para comemorar vitórias, transformando a situação negativa em coisa do passado.

O brasileiro é cuca fresca? Não, foi-se o tempo em que éramos um povo que conseguia esfriar as tensões no samba e no futebol. O Brasil já é segundo no ranking dos países mais estressados do mundo. Este livro reúne boas idéias de como aprender a fazer do estresse um aliado.

Onde Comprar