Sou infinito. Transcendo o espaço. Sou incansável. Estou além do corpo, do pensamento e da palavra; além da matéria e da mente. Eu sou a bem-aventurança sem fim.

Paramahansa Yogananda

Tempos de polarização máxima, de desgoverno, valores completamente invertidos, tudo parece estar fora de ordem… nem mesmo a natureza obedece mais aos antigos parâmetros que tínhamos quanto às estações do ano…não temos e não teremos mais as quatro estações definidas e previsíveis…ficamos somente com As quatro estações (melodia) de Vivaldi…a emoção do medo vibrando forte em muitas pessoas e sendo estimulada por outras e por forças ocultas…sim a matrix do medo segue atuando firme e forte…opostos como luz e sombra, bem e mal sendo friccionados, atritados até o limite…pessoas cansadas, ansiosas e exaustas…crianças e jovens confusos e expostos a manipulações e abusos de parte a parte…muitos tentam encontrar alguma segurança em suas certezas e crenças surradas, gastas e ultrapassadas…outras tentam discutir e brigar com quem não concorda com a sua visão enquanto o barco está a deriva e o abismo se aproxima…outras ainda tratam de tentar acalmar os ânimos alterados de ambos os lados…muitas pessoas estão literalmente enlouquecendo sem perceber, sem qualquer auto  crítica ou bom senso…algumas pessoas se retiraram do convívio com as outras  e  foram para o meio da natureza por se confessarem   incompatíveis com as lutas, brigas, trocas de agressões e baixarias desse momento crítico de país e de planeta…algumas pessoas estão cortando relações com “amigos” e com familiares por discordarem de suas convicções políticas e ideológicas…pessoas, incluindo crianças e jovens estão desistindo dessa luta insana e saltando do barco, nesse mar revolto…outras pessoas decidem lutar pelo que acreditam ser o bem maior para si e para seus semelhantes e seu país, seu planeta, abrindo mão de seus gostos e interesses pessoais…algumas lutam no front outras atuam nos bastidores, conforme suas habilidades, dons, temperamento, caráter…outras pessoas seguem lutando de forma cega e obcecada sem ter a coragem de se perguntar se ainda faz sentido…alguns escolhem a sombra, outros escolhem a Luz…mas escolher um lado se o mundo é redondo e se todos somos Um? Que drama será esse em que todos nos envolvemos? Nós escolhemos mesmo esse roteiro para essa vida? Será que funciona assim mesmo a lei da dualidade?

Vivenciando tudo como observador que procura não interferir e que respeita o livre arbítrio e ao mesmo tempo, como participante cidadão que sente o chamado de cumprir seu papel e missão, ou seja de colocar a parte que lhe cabe para compor esse quebra-cabeças divino, eu reflito, medito, rezo…ajudo a quem me solicita e uma palavra fica latejando em minha mente, em meu coração, em minha alma: LUCIDEZ…LUCIDEZ…LUCIDEZ…

Desde criança, muito pequena ainda, sou uma buscadora da consciência, da clareza, da lucidez. Creio ter trazido essa ânsia pela Luz, no âmago do meu Ser, da minha Essência. Nesses anos todos, de caminhada e de busca, aprendi muito e entendi que a clareza, a lucidez, a consciência não podem ser alcançadas apenas baseando-nos em dados e fatos, em nosso hemisfério esquerdo, lógico e racional. Nem tampouco encontraremos a Luz guiados apenas por  nossas percepções e emoções,  originadas no ego e na personalidade. O conhecimento é necessário e importante, a análise dos dados e fatos também, assim como ler, estudar, pesquisar e ouvir outros pontos de vista. Porém, o conhecimento é limitado e nos sabotará em nossa busca por lucidez, já que é cego. Essa cegueira advém da falta absoluta de um outro polo ou aspecto complementar que se desenvolve por força e ação de nosso hemisfério direito, aquele lado do cérebro responsável pelas nossas emoções, criatividade, intuição, flexibilidade e abertura ao novo. Somente através da integração desse dois lados ou hemisférios sem que nenhum deles prevaleça, seremos capazes de alcançar a Luz de onde decorre a clareza, o discernimento, o bom senso e portanto, a lucidez. Não por acaso, é nessa região central do cérebro, onde se encontram os dois hemisférios que temos o corpo caloso e a nossa glândula pineal, uma região constituída de cristais que funciona como uma antena parabólica e que nos permite acessar as informações e conhecimentos de dimensões mais elevadas, do cosmos. Não por acaso, as crianças das novas gerações estão nascendo com os dois hemisférios já unidos e integrados e com sua antena parabólica bem ativada e sintonizada com dimensões mais elevadas e realidades paralelas, seres interdimensionais e galácticos. Por analogia, podemos nos permitir acreditar que o ponto de resolução e de encaminhamento sábio e pacífico para nossas mais graves questões e dramas humanos, brasileiros e planetários esteja, justamente, na dependência de que alcancemos esse nível de integração entre os dois lados do nosso cérebro e assim a união dos nossos opostos, transcendendo a dualidade. Alcançando esse estágio de consciência e de LUCIDEZ, onde possamos nos reencontrar uns com os outros através daquilo que temos em comum, de nossas semelhanças, nós já estaremos transitando na quinta dimensão, no plano da Unidade.

Lembremos que as crianças das novas gerações, Índigo, Cristal, Estelar e Arco-íris,  estão aqui nos estendendo as mãos e esperando que seus pais, os adultos, os governantes também lhes estendam as suas mãos  e consagrem assim, um renovado estado de união plena pela paz no país e no planeta.

Permitam-se, agora mesmo, olhar nos olhos, ouvir a voz do coração e serem tocados e curados pela luz que emana de nossas crianças!!!

Haja Luz!!! Haja LUCIDEZ!!!

Um abraço afetuoso,

Ingrid