MEU DIÁRIO / FILMES

Me Chame Pelo Seu Nome

Fui assistir o filme Me chame pelo seu nome, em cartaz nos cinemas, fazendo o exercício de não alimentar expectativas e de manter meus filtros e sensores limpos e puros, o máximo possível.
Tenho aprendido, cada vez mais, que as expectativas interferem negativamente, em nossa relações, seja com pessoas, com a natureza, com a arte e com Deus…Assim, abri meu coração, mente e sentidos para assistir ao filme e lhes digo que essa dedicação e “preparo” fez valer a pena cada momento, cada cena desse bem dirigido filme o qual nos oferece um verdadeiro show de imagens e uma trilha sonora cuidadosamente escolhida aliados a um show de direção e de atuação, sob o céu de um roteiro que ilumina e revela fótons e flashes de uma sensibilidade profundamente humana e espiritual. A delicadeza contida na filmagem das cenas, desde as mais pueris até as mais íntimas unida a sutileza com que cada olhar ou troca de olhares e a comunicação não verbal são conduzidas e oferecidas ao público demonstram maestria de quem conhece e honra a alma humana em sua misteriosa grandeza e infinitude…
Somos convidados a acompanhar as relações e o dia a dia, dos pais e seu filho adolescente, numa cidade do interior da Itália, onde tudo parece fluir de forma tão natural quanto integrada à natureza, a cultura local e as pessoas nativas e ao mesmo tempo, transcendendo todos esses traços e padrões, para um “universo” ou “ambiente” de outra dimensão, uma dimensão paralela talvez…onde se falam vários idiomas ( frances, italiano, inglês…) mas sem apegos ou apologias, sem imposições, competição ou controle…onde a liberdade de ser e o respeito mútuo parecem conviver e se desenvolver com a naturalidade, a confiança e a calma que se observa entre os diversos reinos da natureza, que aliás é o elemento fortemente presente em todo o filme, como a linha ou fio que sustenta as vibrações entre esta e as outras dimensões…a sensibilidade dos pais entre si, com seus funcionários bem como com seu único filho de 17 anos inspira-nos, todos, a uma reflexão profunda sobre a verdadeira relação humana baseada no Amor Verdadeiro e Incondicional que se fundamenta na integração plena entre razão e emoção, mente e coração, humano e espiritual…ah se todos os pais conseguissem assimilar e internalizar essa dimensão do Amor…não se trata de um filme sobre relacionamento homossexual como talvez se possa supor baseando-se na sua divulgação ou em estereótipos e rótulos comuns, atualmente…o filme trata da grandeza e da força do Amor como a força maior que move a vida e de como ele pode brotar nos corações de forma pura e profunda, independente de gênero ou sexo e de como na adolescência, etapa crítica do desenvolvimento humano e da busca de uma identidade, essa busca pode passar por uma experiência que inclui a sexualidade mas que não se resume nem limita a ela…nesse sentido, o filme inspira e propõe a reflexão a respeito de quem somos nós, que tipo de ser humano somos, até que ponto e profundidade somos humanos mesmo(!) e também nos confronta com o desafio de nos libertarmos de dogmas e máscaras que nos impedem de acessar nossa Essência! Nós já somos Amor, nós já somos livres, já somos seres espirituais passando por uma experiência humana! São as experiências que nos permitem nos descobrir e reconhecer e honrar nossa Essência. Na adolescência, podemos ter nosso processo de autodescoberta impedido, corrompido ou facilitado e saudavelmente inspirado dependendo muito da atitude de nossos pais e do ambiente que eles conseguirem nos proporcionar baseado, fundamentalmente numa relação entre eles próprios, de Amor e de respeito mútuo…a conversa entre pai e filho, mais ao final desse belíssimo filme, mostra-se como um verdadeiro tratado do que poderíamos chamar a “nova psicologia” ou a “psicologia espiritual e Interdimensional”…quem sabe esse filme e, especialmente esse diálogo final, seja encarado como um vislumbre de um novo passo em nossa evolução como pais e filhos, como humanos a caminho da Unidade que já somos…a Luz…daí que chamar-me pelo seu nome traduz essa fusão, o êxtase da Unidade através do puro Amor…