MEU DIÁRIO / POESIAS

Quero saber

Eu quero sabera fonte
de tanta monotonia
as causasda rigidez
que te aprisionama mente
escondendo o teu belo ser

Eu quero tanto saber
a origem de cada norte
da tua melancolia
da tua alma vazia
da falta de empatia
da estranha indelicadeza
do excesso de certezas
que te priva da beleza
das curvas da estrada
das surpresas orquestradas
que nos reserva o destino
a todos os destemidos
de alma pura e aberta.

Eu quero muito saber
onde foi parar teu desejo de
viajar
o gosto pela natureza
a sede de beber a água pura
onde se esconde o rapaz
de belos olhos azuis
de brilho incandescente
que chamuscou-me por fora
e que incendiou completamente
minh’alma e meu coração.

Paira sobre mim a dúvida
e hoje alimenta-me
uma única pergunta:
onde está teu coração azul
teu sorriso de menino
tuas asas furtacor
de pássaro do amor?

Eu quero saber,
onde estás?!

Ingrid Cañete