MEU DIÁRIO / POESIAS

Dica de filme: Relatos Selvagens

Depois de uma pausa longa para quem ama cinema como eu,tive o prazer de assistir um dos melhores filmes dos últimos tempos!Que grata surpresa ver nas telas, o talento de um diretor jovem transbordando e transformando-nos através de profunda catarse.Trata-se do filme Relatos selvagens, do diretor argentino Damián Szifrón.

Eis um filme diferente! Composto por cinco diferentes histórias, cada uma delas muito bem construída e contada com força, agudeza
e profundidade. Todas elas tem em comum o mundo atual tenso, caótico, feito de realidades individuais que se cruzam e entrelaçam constituindo as teias do universo coletivo humano. A abertura do filme mostrando diversos animais selvagens aliada a trilha sonora magistral de Gustavo Santaolalla dão o tom do que virá. Cada história, mostra os caminhos e o processo pelo qual a dimensão animal, pode tomar conta de uma pessoa transformando-a em segundos, num ser desprovido de sua dimensão humana. Vemos diferentes pessoas saírem do estado de equilíbrio, para adentrarem a zona limítrofe entre a lucidez e a loucura. O filme nos propõe, de modo forte e provocante, mergulhar nas chamas do inferno que criamos para nós mesmos, esse mundo frio, burocrático, duro, competitivo, insensível, injusto, de seres alienados de si mesmos e dos outros. Um mundo de solidão em que se cometem crimes hediondos e ninguém, vê, ninguém escuta e, portanto, nada se faz… São tantas as situações no cotidiano, que costumeiramente nos assolam e que vamos levando, levando… até que um belo dia algo toma conta de nós e diz “chega!” Nesse dia, podemos agir como se fossemos bárbaros e loucos porém, detrás dessa aparência se esconde um grito antigo e desesperado por justiça, por mudança! Uma bobagem dita de forma impensada no trânsito de hoje, pode nos custar a vida ou, responder ao cliente com frieza e como se fossemos um robô, pode provocar uma crise familiar irreparável No entanto, o filme trás como uma das reflexões, um alerta no sentido de revermos nosso estilo de vida, nossos valores, nosso olhar em relação a nós e aos nossos semelhantes e de buscarmos urgentemente o equilíbrio e retomarmos o caminho da humanização.

De todos os ângulos e formas, o filme merece ser visto e vale muitas reflexões!
Um abraço, muita Luz!!!

Ingrid