MEU DIÁRIO / DICA DE FILMES

Dica de Filme: Uma Vida com Propósito

Faz algum tempo que não publico uma nova dica de filme, embora eu seja cinéfila, desde muito pequena. Eu tenho visto muitos filmes e séries de ótimas a muito boas mas estou cada vez mais, digamos, seletiva. O filme precisa ter significado para mim e me tocar muito, de forma especial, para eu indicar.

O título acima refere-se a um filme que recém entrou no Netflix e que “de cara” chamou a minha atenção e ao ler a sinopse, tive certeza de que devia assistir. Trata-se da história de uma jovem, Rachel Joy Scott, de 17 anos que frequentava a escola Columbine, nos EUA e que foi a primeira a ser morta no dramático tiroteio que horrorizou e comoveu o país e o mundo, em 20 de abril de 1999. Lembro-me bem dessa data e dessa época e cheguei a escrever sobre esse acontecimento pela lente dos Índigos, em um de meus livros.

O título do filme quer dizer “Eu não tenho vergonha” e refere-se ao fato de que Rachel era uma menina cristã que inclusive participava de um grupo de orações e de apoio a jovens. Ela era rechaçada por diversos colegas e estudantes simplesmente, por ser cristã e não ter vergonha de ser quem era. Sofria muito pois percebia e sentia esses rechaços e deboches calada e queria muito ser aceita, como todo o adolescente deseja. Tentava se “enquadrar” mas não conseguia pois não era de sua índole beber, fumar,cometer excessos…ela era como um anjo humano, sempre tentando ajudar os outros, prestando a atenção ao “diferentes” e aos “excluídos” na escola e fora dela e se colocando ao lado deles para integrá-los, apoiar, levar uma palavra de amor, de acolhimento, compaixão. Desde criança, ela gostava muito de desenhar e costumava dizer que desejava fazer a diferença nesse mundo…

Ela sentia uma dor profunda na alma e chorava, sofria calada pois percebia todas as mazelas e a densidade ao seu redor, na escola e na sociedade, em geral. Falava com Jesus e pedia que ele lhe guiasse…durante esses momentos de dor extrema ela chegou aproximar-se do suicídio…

Por outro, lado haviam colegas que eram debochados e sofriam bullying pesado dentro da escola, entre eles dois meninos Dylan e Eric que foram acumulando indignação, dor e raiva, revolta até que começaram a planejar uma vingança que seria “inesquecível” e que sacudiria as pessoas, a escola, a sociedade…Como eles previram e deixaram gravado em seus vídeos, no futuro, seriam feitos vários filmes a  respeito desse episódio por eles provocado…eles estavam certos, pouco tempo depois foram feitos dois filmes por diretores diferentes, aos quais eu assisti. Hoje, já existem livros e outros filmes a respeito além de muitas análises diferentes sobre os inúmeros aspectos e fatores envolvidos nesse acontecimento. Muitas lições foram deixadas mas talvez nem todas tenham sido aprendidas, infelizmente…

Bem além de contar a história da jovem Rachel, o filme, a meu ver mostra como cada um de nós vem para essa vida com um roteiro de vida e com um propósito. Realizar esse propósito depende de tomarmos consciência e de nos dedicarmos com entrega absoluta à ele. Ouvir a voz interior, a voz de Deus, perceber seus sinais e seguir tais sinais pode fazer toda a diferença, nesse mundo. Algumas vezes, realizar tal propósito pode significar literalmente, dar a vida por ele, foi o caso de Rachel. E, se tivermos olhos espirituais para ver com a profundidade e com o distanciamento necessários, seremos capazes de entender, que para que o roteiro e o propósito de Rachel se cumprisse era necessário que outros personagens existissem e também se dispusessem a cumprir os seus papéis e roteiro, caso daqueles que faziam bullying, dos diferentes que ofereceram a oportunidade de Rachel auxiliar, incluindo aí os dois jovens que planejaram e executaram a terrível vingança. Entenda-se que aí, estavam representadas, mais uma vez, as forças do bem e do mal, da sombra e da luz.

Sempre que ocorrem esses dramas humanos, as tragédias, um tempo depois, aparecem e vem à público as peculiares histórias de alguns de seus personagens e como peças de um quebra-cabeças, eles encontram luz a respeito do ocorrido e compartilham com a gente. Casos como as pessoas que não embarcaram num avião que caiu, porque algum “imprevisto” as impediu e depois, elas vão entender, que não era a hora delas…São formas de realizarem seu propósito e de assim contribuírem para com o aprendizado e  a evolução de todos que se dispuserem a isso. No caso de Rachel, veremos com riqueza de detalhes e com muita sensibilidade o quanto a sua história de alma, sua trajetória foi cheia de sinais e de “clarividência” que podem ser entendidos como ” o dedo de Deus” guiando seus passos e ouvindo seu pedido…

Ela desejava tocar o coração de milhões de pessoas e fazer a diferença, nesse mundo…esse filme já foi visto por pelo menos 22 milhões de pessoas e provavelmente, ainda irá chegar e tocar muitos outros milhões de corações…esse filme tocou profundamente o meu coração e me fez chorar de emoção…eu me identifiquei com Rachel…lembrei que desde criança sentia aquela dor na alma por perceber a dor de outras crianças, de outros jovens e seres humanos…eu sempre quis ajudar, fazer a diferença e sofri também…sofro ainda…mas hoje sei que nada do que sentimos e fazemos com esse propósito e com pureza de intenção, por amor e compaixão, será em vão…nós fazemos a diferença para muitas pessoas e somos luz a irradiar para milhares…não se trata de ego, nem de fama, nem de sucesso fugaz…trata-se  de consciência e propósito, única forma de encontrar sentido para a nossa vida…que não termina aqui, nessa existência…

Fica a minha dica cheia de amor e forte intenção de que o filme toque o seu coração…

Um abraço afetuoso, haja Luz!!

Ingrid