EMPATIA ATRIBUTO DO AMOR VERDADEIRO

( Baseado em uma experiência)

O resgate do sentir…

São 28 dias sentindo…mas o que são dias? O que são sentimentos?

Fui salva, resgatada em tempo, minha vida foi restituída pelos desígnios divinos, por Deus que age através de nós, humanos…mas, também fui anestesiada, intoxicada, esvaziada, revirada, despojada de tudo o que é aparente…fui examinada, cortada, repuxada, costurada, num exercício incessante e extenuante de desconforto, desacomodação interna e externa…cheguei a esquecer e a me perder de qualquer “zona de conforto”…

Fiquei suspensa no ar, entre lá e aqui. Um ar que às vezes me faltava e outras me sufocava por ser pesado, tenso, carregado das muitas dores e medos de todos, de tantos anos guardados, represados, disfarçados em onipotência, arrogância, orgulho e preconceito humanos. Ouvi gritos desesperados, pedidos de socorro e o clamor pelo nome Dele, Jesus…

Estive sentindo as dores do corpo e da alma, transitando entre essa e outras dimensões.Perdi o foco, me desnorteei, confusa  entre noites mal dormidas e dias, horas cheias e outras vazias… onde eu só sabia agradecer e agradecer por tudo, à todos. Rezar e agradecer, rezar e me render às Graças Divinas, afinal fui salva.

Uma vida nova a cada despertar…uma percepção renovada a cada olhar…

Ah, o valor de parar de enjoar, de vomitar…de conseguir dormir pelo menos um par de horas…o valor de conseguir voltar a ingerir algum alimento, de me nutrir…o valor de um simples copo d’água, um suco…de ver o corpo reagir e o intestino e o rim voltarem a funcionar…o valor da ajuda para tudo, desde tomar um banho e secar-se, até vestir-se, arrumar a cama e nela se acomodar, trocar curativos, receber um afago, um colo, um carinho calmante, uma palavra amiga encorajadora, um olhar da mais pura compreensão, empatia, compaixão…ah o valor da ajuda para se levantar e se equilibrar, para trazer as coisas ao alcance das mãos evitando o esforço e a dor…o valor de um suco, de uma sopinha quente, de um reiki e de uma conversa humana, profunda e sincera…ah o valor de tantas preces e orações, tratamentos espirituais, cuidados médicos e de enfermeiros…e o valor da família e dos amigos…como é bom sentir que não estamos sós…e o valor de uma janela para ver o céu, as árvores, o sol ou a chuva, os pássaros e poder respirar um ar puro e revigorante…

O valor de sentir toda a fragilidade da gente ficar exposta tendo de se mostrar de frente, de lado, de costas, de alma nua sem medo e sem constrangimento…Ah, o valor de  sentir-se humano, mais humano do que nunca e, assim, o valor de sentir que só podemos agradecer, agradecer e agradecer à Deus, aos nossos guias e mestres, a todos que nos ajudaram, e seguem ajudando, apoiando e cuidando!

Sim, o valor de cuidar é algo tão sensível, delicado, profundo, imenso,  simples e, ao mesmo tempo, complexo. Pois o nosso tremendo desafio nessa vida é alcançar o simples de tudo e de todas as coisas…Porque pequenos gestos são, muitas vezes, tão simples de executar, tão poderosos em seus efeitos mas difíceis de serem percebidos e intuídos por pessoas que se ocupam de  cuidar de outras, pessoas…e a diferença que isso faz é gigantesca.

Por exemplo, uma enfermeira que assume o turno e que é capaz de, no primeiro contato visual com o paciente, recém operado, perceber que a sua posição na cama está desconfortável e que basta um simples gesto de lhe oferecer e colocar um apoio no centro das costas para transportar esse ser humano do “inferno” para o céu…essa enfermeira merece uma distinção, um abraço, uma prece, um agradecimento com louvor. Ela não está apenas mostrando competência técnica mas está demonstrando ser verdadeiramente humana.

E, quando ela sente que há muita ansiedade e cansaço e dificuldade de relaxar e dormir e ela faz uma massagem nos pés do paciente com um óleo essencial relaxante para acalmar esse paciente, meu Deus (!), que bálsamo, que gesto de compaixão e de generosidade. Afinal, todos os profissionais de saúde são também terapeutas! Todo o terapeuta tem como missão “cuidar do Ser, da Essência, daquilo que vai dentro” do corpo e tratar de proporcionar-lhe paz interior. O verdadeiro Terapeuta cuida do Ser dando-lhe tempo, silêncio, espaço para recolher-se e descansar dentro desse corpo que é a criatura humana. Cuidar do Ser será ocupar-se, em primeiro lugar, “com aquilo que vai dentro de nós”, afirma Jean-Yves Leloup. Acontece que, alguns profissionais de saúde tem essa consciência apurada e outros não possuem nem resquícios dela…

Olhar o outro e sentir o que o outro está sentindo ou necessitando, naquele exato momento, compreendendo sem palavras ou gestos seu coração e sua alma, é sem dúvida, um dom divino, um atributo de todos nós mas para o qual nem todos despertaram para desenvolver, dedicar-se, aprimorar-se. Ser capaz de ver na outra pessoa, no paciente que está debilitado, assustado, fragilizado, um outro eu e ser capaz de “escanear” seu Ser, seu corpo e sua alma para lhe dedicar cuidado. alívio da sua dor, de sua aflição, quem sabe fazer-lhe uma oração é, infelizmente, algo de que ainda estamos carentes no universo da medicina e da saúde, em geral.

Um sorriso, uma palavra, uma escuta, um olhar de acolhimento e de compreensão, um silêncio cheio de ternura e amor, sem julgamento ou crítica, uma demonstração de comprometimento em cuidar do outro como se ele fosse você, transmitindo-lhe a certeza de que pode contar com sua dedicação e todos os seus conhecimentos e meios para lhe ajudar a se recuperar, a curar-se, sem dúvida, fazem total diferença. Tais gestos e tal atitude podem salvar vidas, podem acelerar a recuperação, podem transformar as vidas de quem oferece e de quem recebe tais benefícios.

Eis os chamados milagres humanos e/ou divinos. De que eles são feitos, constituídos?

Simplesmente de EMPATIA, o principal atributo do AMOR, o AMOR INCONDICIONAL.

Eis o caminho que precisamos trilhar chamado HUMANIZAÇÃO!

Médicos, enfermeiros, terapeutas, técnicos de enfermagem, profissionais de saúde verdadeiramente humanos é do que necessitamos e ansiamos, mais do que nunca, nesse momento da Transição Planetária! Eis aí um dos grandes, imensos desafios e oportunidades que essa pandemia nos trouxe: nos tornarmos humanos de verdade, por inteiro e não apenas na aparência.

Deixo aqui registrada a minha mais profunda gratidão à Deus, aos mestres e guias e à todos que me cuidaram, ajudaram e ainda cuidam de mim! Todos que rezaram e me enviaram seu AMOR e uma imensa chuva de bênçãos e de boas energias para que eu pudesse estar me recuperando e fortalecendo, e assim, prosseguir com a “semeadura terrena” que é minha missão, aqui!

Um abraço afetuoso imenso desejando que haja cada vez mais e mais, AMOR  e LUZ!!!

Ingrid Cañete